Pós-Graduação Lato Sensu em Regência Coral

1. TÍTULO DO CURSO

Programa de Pós-Graduação Lato Sensu – Especialização em REGÊNCIA CORAL

Curso aprovado pela Portaria CBM-CeU nº. 35, de 12 de dezembro de 2010, com base na Resolução CNE/CES 2/2014.


2. JUSTIFICATIVA

A atividade do regente coral no Brasil contemporâneo assumiu características muito particulares nas últimas décadas. Coros surgiram em espaços antes considerados improváveis, ao mesmo tempo em que instituições onde a música coral parecia solidamente estabelecida deixaram de incentivá-la. Também mudaram os processos do fazer musical coletivo e seus participantes, como cantores, público, críticos, coordenadores, incentivadores, etc. O mundo contemporâneo, eivado de estímulos multicoloridos, iluminados e provocadores de reações instantâneas, tem forte influência sobre a atividade coral. Competências que não se relacionavam ao trabalho do regente coral hoje lhe são fundamentais. Por vezes, são exigidas do regente habilidades que muito se distanciam daquelas tradicionalmente a ele associadas.

Não obstante, a atividade coral encontra-se em expansão e, consequentemente, as oportunidades de trabalho para os regentes. Mas essa é uma questão que não pode ser analisada unicamente a partir da ótica do regente coral atuante há algumas décadas atrás. Há que se ter uma visão dessa prática musical no contexto da sociedade contemporânea, para se criar condições que atendam a tal demanda de trabalho.

Vivendo num mundo onde a mudança é o status quo, como diz Peter Topping, a formação de um regente deve ser constantemente avaliada e adaptada às situações que lhe vão sendo apresentadas. Tal fato cria uma lacuna de difícil superação entre o que acontece no "mundo real” e o que é ensinado nas escolas e nas universidades, pois os currículos concebidos visando à formação de regentes corais são quase sempre moldados de acordo com os ditames do estilo conservatorial francês do Século XIX.

Neste projeto, procura-se organizar um curso que apresente situações reais de trabalho do regente contemporâneo. O corpo docente indicado é formado por músicos que, além de sua alta qualificação musical e acadêmica, desenvolvem atividades reconhecidas (não raro premiadas) em suas respectivas áreas de atuação prática. Trata-se de um projeto inovador, sem similar em outra instituição educacional no Brasil. Procura-se, aqui, conjugar o respeito à alta qualidade artística que a música coral merece com uma visão pragmática do mercado de trabalho.


3. OBJETIVOS

Gerais:

  • Capacitar regentes corais para a atuação no mercado de trabalho contemporâneo através do enfoque em metodologias, técnicas, literatura e repertório;
  • Provocar a discussão acerca da função do regente coral e da situação da atividade coral na sociedade contemporânea.

Específicos:

  • Atualizar e aprofundar conhecimentos em regência coral;
  • Vivenciar diferentes possibilidades de práticas em regência coral;
  • Observar, analisar e discutir características fundamentais da música coral no contexto da sociedade brasileira contemporânea, bem como as principais competências necessárias à atuação do regente;
  • Desenvolver técnicas e dinâmicas de ensaio;
  • Analisar criticamente a atuação do regente e sua relação com os diversos elos da cadeia produtiva da música coral no Brasil.

 

4. PÚBLICO ALVO

4.1. Regentes de coro e professores de Música;

4.2. Graduados em qualquer curso superior de Música ou Musicoterapia; e

4.3. Graduados em qualquer área.

Obs.: Os candidatos que se enquadrarem na condição 4.3 deverão fazer avaliação de conhecimento de Leitura e Escrita da Música, com duração máxima de 2 (duas) horas, com valor máximo de 10 (dez) pontos.

A secretaria entrará em contato com o candidato para o agendamento da avaliação.

Conteúdo Programático da Avaliação de Leitura e Escrita da Música:

  • Claves de sol e de fá (capítulo III); • Intervalos (capítulos X, XI, XII, XIII e XVII); • Escalas Maiores, círculo das Quintas e armaduras de claves (capítulo XVIII); • Escalas menores, círculo das Quintas e armaduras de claves (capitulo XXI); • Escala Maior: formas primitiva, harmônica e melódica (capítulo XXIII); • Escalas relativas e homônimas; • Compassos simples e compostos (capítulo XIX); • Tons vizinhos (capítulo XXIV); • Acordes de 3 sons: perfeito maior, menor, aumentado e diminuto (capítulo XL, págs. 274 a 281; capítulo XLI); • Inversão dos acordes de 3 sons (ou acordes de Quinta) capítulo XLII; • Identificação auditiva de melodias simples populares ou folclóricas através de solfejo interno (cantar/solfejar mentalmente melodias e escrever os nomes das canções); e • Identificação auditiva de músicas em modo maior ou modo menor.

Referência Bibliográfica: MED, Bohumil. Teoria da Música. 4ª ed. Brasília: Musimed, 2001.

5. CAMPOS DE ATUAÇÃO

Áreas de Educação, Música ou Artes em instituições de ensino públicas e privadas, religiosas, consultorias no campo musical, empresas em geral e nos diversos contextos artísticos existentes.


6. HORÁRIO, CRONOGRAMA DAS AULAS E INVESTIMENTO

Sábados, das 9h às 12h45 e 13h45 às 17h30.

6.1. Cronograma das Aulas

6.2. Local

Avenida Graça Aranha, nº. 57, 12º andar, Castelo, Rio de Janeiro, RJ.

6.2.1. Referência

Metrô - Estação Cinelândia, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional, FUNART, Ministério do Trabalho e Vale.

6.3. Admissão

Documentos necessários:

  • Carteira de Identidade;
  • Diploma de curso superior de graduação (ou de curso equivalente);
  • Histórico Acadêmico de curso superior de graduação;
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Currículo Vitae ou Currículo Lattes (http://lattes.cnpq.br/)

Observações:

  1. a) O aluno deverá enviar, em formato PDF, o conjunto dos documentos definidos neste item para o e-mail .
  2. b) Os candidatos inscritos na sede deverão apresentar a documentação, obrigatoriamente, no ato da inscrição.
  3. c) Os portadores de diploma de nível superior, obtido no exterior, devem ter o respectivo diploma revalidado oficialmente.
  4. d) Caso o candidato apresente documentos em língua estrangeira, estes deverão estar visados pela autoridade consular brasileira no país de origem e acompanhados da respectiva tradução oficial.

6.4. Inscrição

A taxa de inscrição (quando houver) só será devolvida em caso de cancelamento do curso pelo CBM.

A inscrição poderá ser realizada por qualquer um dos seguintes modos:

- Internet (clique aqui)

- Presencial - Comparecimento do candidato ou seu representante, munido de instrumento particular de procuração ao CBM.

6.4.1. Período de Inscrição

Até 31 de março de 2017

6.4.2. Taxa de Inscrição

R$50,00 (cinquenta reais)

6.5. Seleção

O preenchimento das vagas oferecidas dar-se-á através de processo classificatório e eliminatório, e será realizado por meio de análise do currículo acadêmico e do histórico acadêmico do(s) curso(s) de graduação e/ou Pós-Graduação Lato Sensu ou Stricto Sensu e avaliação de Leitura e Escrita da Música (se necessário) dos candidatos inscritos.

O processo seletivo será conduzido por uma Comissão de Seleção designada pela Coordenadoria dos Cursos de Pós-Graduação e Extensão do CBM.

6.5.1. Divulgação do Resultado Oficial da Seleção

31 de março de 2017

6.6. Matrícula

Documentos necessários:

  • Certidão de Registro Civil (nascimento, casamento, separação judicial ou divórcio);
  • Comprovante de Residência; e
  • foto 3x4 (recente).

6.6.1. Período de Matrícula

03 e 04 de abril de 2017

6.7. Investimento

O curso poderá ser pago em 18 (dezoito) parcelas de R$520,00 (quinhentos e vinte reais), sendo a primeira no ato da matrícula e a(s) restante(s) no(s) mês(es) subsequente(s).

 

7. CORPO DOCENTE

Patrícia Costa, mestre
Antônio Gastão, mestre
Celso José Campos, doutor
Luciana Requião, doutora
André Protasio, mestre
Adriana Rodrigues, mestre
Roberto Fabri, doutor
Stella Junia, mestre
Carlos Alberto Figueiredo, doutor
Sergio Roberto de Oliveira, graduado (professor convidado)
Jésus Figueiredo, mestre

 

8. COORDENAÇÃO

Renildo Salles

pos@cbmmusica.edu.br

 

9. PROGRAMA

Metodologia da Pesquisa Científica

Carga horária: 36 horas

Análise de linhas e métodos de pesquisa em Ciências Humanas, com o objetivo de instrumentalizar os alunos para suas próprias atividades de pesquisa em Música. Estudo de caso sobre um grupo coral brasileiro (diferente daquele em que o aluno já trabalha). Pesquisa deve ser feita através da observação de ensaios e entrevistas com regentes, coristas e demais envolvidos (público, coordenadores etc.). A disciplina deve promover um Simpósio sobre As Competências do Regente Coral na Atualidade, que é o tema principal do curso, para a apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos.

 

Empreendedorismo

Carga horária: 36 horas

A inserção da música coral na cadeia produtiva da música; novas possibilidades de trabalho para o regente coral; marketing de serviços; relações das competências do músico com o mercado de trabalho; elaboração de projetos; leis de incentivo.

Arte, Cultura e Sociedade

Carga horária: 18 horas

Esta disciplina tem por objeto a análise da arte sob o prisma da produção de subjetividade, enfocando questões epistemológicos postos pela questão da arte; a crise do conceito de arte no mundo contemporâneo e os questionamentos postos pelo desenvolvimento tecnológico e, por fim, as formas de expressão artística e as relações sociais por elas engendrada.

Dinâmica de Ensaio

Carga horária: 27 horas

Discussões acerca da organização do tempo e da estrutura do ensaio coral; liderança; questões de hierarquia e motivação; adaptações de repertório e procedimentos em função das características dos cantores; aspectos comportamentais do ensaio coral; aquecimento e soluções técnicas relativas à produção vocal.

Técnica Gestual

Carga horária: 45 horas

Diferentes modelos para o gestual do regente; comunicação não-verbal; vocabulário gestual; Laban; teorias sobre movimento e suas aplicações em regência coral; estilos de regência; histórico da utilização dos padrões gestuais em regência coral.

O Coro na Escola

Carga horária: 27 horas

Reflexão sobre o papel do coro na escola e na educação musical; análise crítica sobre o canto orfeônico; análise de aspectos vocais dos alunos de escolas brasileiras, pela ótica da cultura e da fisiologia; considerações sobre desafinação vocal; comparações entre estudos no Brasil e no exterior acerca da produção musical nas escolas de ensino fundamental.

 

Regência Coral no Repertório Coro-Sinfônico

Carga horária: 45 horas

Aspectos gestuais da regência orquestral; liderança de grupos instrumentais; aspectos comportamentais do instrumentista sinfônico; demandas específicas de diferentes instrumentos e naipes; uso da batuta; regência do coro sinfônico; comparações entre o estudo das partituras coral e orquestral.

Análise de Repertório Coral

Carga horária: 36 horas

Estudo de estilos de produção coral em diferentes momentos da música ocidental. Análise sob o prisma da linguagem musical (textura, harmonia, contorno melódico etc.), social (Para que coro determinada obra foi escrita?, em que circunstâncias?) e estético. Discussões acerca da escolha de repertório para diferentes tipos de grupos corais.

 

Coro Infantil e Coro Juvenil

Carga horária: 27 horas

Particularidades do repertório para vozes infantis; mudanças vocais do adolescente; montagem de programa e repertório para coro infantil e juvenil; questões de direitos autorais; características do ensaio de coro infanto-juvenil.

Arranjo Vocal

Carga horária: 27 horas

Condução de vozes; tessitura e extensão vocal de diferentes grupos; análise de pontos fortes e fraquezas de um grupo coral; relação com o texto; diferentes texturas; organização harmônica; níveis de dificuldade; contorno melódico; análise de estilos de arranjo coral; adaptação de repertório a diferentes tipos de grupos corais; arranjo a cappella x acompanhamento instrumental.

A habilidade de escrever e compreender o arranjo coral é uma das competências mais importantes para o regente contemporâneo. Não se trata de formar arranjadores profissionais, mas de dar ao regente ferramentas para adaptação de repertório, hoje em dia uma demanda fundamental nessa atividade.

Coro Cênico

Carga horária: 18 horas

Expressão corporal; presença de palco para cantores; montagem de cenas para reforço da expressividade musical; jogos teatrais; relações entre música e cena; postura; análise de diferentes escolas de movimentos teatrais aplicados ao canto coral; aplicação de movimentos para coros de diferentes faixas etárias.

Acompanhamento

Carga horária: 27 horas

Prática de leitura de cifras alfabéticas; prática de acompanhamento da canção popular; condução de vozes; escolha de acordes, suas inversões e substituições; desenvolvimento de capacidade auditiva harmônica; acompanhamento de ensaio (timing); relação com o regente; harmonização de canções.

A competência de acompanhar é fundamental para o regente coral. Não se trata de leitura à primeira vista (quase uma utopia na formação dos regentes corais da atualidade), mas da habilidade para entender uma peça harmonicamente, conduzindo vozes e dando suporte ao ensaio. Idealmente essa disciplina deve acontecer numa sala com piano e diversos teclados (1 ou 2 por aluno), pois tem caráter teórico-prático.

Processos de Gravação de Coros e Grupos Vocais

Carga horária: 18 horas

Técnicas de gravação, microfonação, produção e processos produtivos específicos para gravação de coros. Questões de orçamento, diferenças técnicas no trabalho de gravação de coros grandes e pequenos. Técnicas de gravação em canais e “ao vivo”, mixagem e masterização.

Percussão Corporal e Efeitos Vocais

Carga horária: 36 horas

Utilização da voz de forma estendida; efeitos vocais; prática do beatbox; emulação de instrumentos; utilização de recursos por grupos vocais; análise da sonoridade de diferentes conjuntos; uso de microfones e amplificação.

 

10. PRODUÇÃO ARTÍSTICA DE CONCLUSÃO DE CURSO

Concerto público de um programa coral de três peças contrastantes sob regência do aluno.

Obs.: Para efeito de performance das obras, a arregimentação dos músicos, bem como a produção e logística do evento, fica por conta do aluno.

 

11. CERTIFICADO

O aluno que preencher satisfatoriamente os quesitos frequência (mínimo de 75% de presença) e aproveitamento terá direito a certificado.

 

12. OBSERVAÇÕES

Vagas limitadas.

A realização do curso está sujeita à quantidade mínima de matrículas.

Bolsas de Estudos: devido à natureza autofinanciada dos cursos oferecidos pelo CBM, não há viabilidade financeira para a concessão de bolsas de estudo.

Parceiros